Rede Oriente

Uma pesquisa do Instituto Oceanográfico da USP, que tinha como objetivo estudar os peixes que vivem nas profundezas das águas brasileiras, acabou tendo uma descoberta alarmante. Grande quantidade de lixo foi encontrada entre 200 e 1.500 m de profundidade e a uma distância de 200 km da costa de São Paulo e Santa Catarina.

O estudo é o primeiro registro do tipo no Brasil.

Em 31 dos locais de coleta, apenas três não trouxeram lixo junto com os peixes pescados com redes.

O plástico foi o material mais encontrado, seguido por metais, têxteis, vidro e tintas de embarcação.

Os materiais de vidro são encontrados com maior densidade, assim como metal, concreto e têxteis.

Fonte: olhardigital.com.br

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *